Produto adicionado com sucesso!
Produto removido!

A proa é uma parte importante a se levar em consideração, afinal existem razões técnicas e não apenas estéticas para cada tipo de proa. Inovações são sempre bem-vindas, desde que adotadas com critério, o mais importante é garantir, em qualquer caso, uma boa reserva de flutuação para o barco.

Ultimamente, as proas de alguns veleiros e lanchas passaram a ficar perpendiculares à linha d?água, ou mesmo com a parte inferior mais lançada, em um ângulo invertido. Pois mais do que um simples modismo ou mera tentativa de dar aos barcos um perfil mais agressivo, estas novas e incomuns formas de proa revelam uma tendência, mas isso não quer dizer que você deva colocar isso como ponto básico na hora de escolher o seu próximo barco.

Caso você queira, por exemplo, apenas passear com uma lancha cabinada, com flybridge, acima dos 40 pés, uma proa mais arredondada aumenta consideravelmente o conforto a bordo, uma vez que esse tipo de barco é projetado para navegar em águas costeiras.

Já se o objetivo for pescar em mares mais abertos, o melhor é uma proa mais afilada. Antes de escolher o desenho, portanto, é preciso definir o uso que o barco terá. Veja abaixo algumas características de cada formato.

Proa lançada em V

É a típica proa das lanchas de lazer, usada também em alguns navios. Seu formato, em V, ajuda a amortecer o impacto das ondas. Com o barco planando, o bico lançado diminui a resistência à água. Em caso de mar agitado, esta característica também evita que o casco mergulhe nas ondas.

Multicascos com proas wave-piercing

A diferença entre os multicascos convencionais, conhecidos como catamarãs, é que estes são divididos pela linha central unida pelo convés de carga. Esse simples fato divide a relação deslocamento e comprimento, portanto, uma potência menor e um menor deslocamento são necessários, aumentando seu comprimento de forma ?pontiaguda? para quebrar as ondas, denominado wave piercing. A velocidade e sua leveza ajudam a uma resistência mínima à água. Com este tipo de arco (também denominado "monocasco estabilizado") destacam-se por não apresentarem volume no flutuador e pelos seus contornos finos. Uma característica do Catamarã Wave Piercing é a proa central distinta, que se estende além dos cascos "Wave Piercing", proporcionando uma reserva de flutuabilidade em condições climáticas adversas. Eles são projetados para atravessar as ondas em vez de flutuar nelas com pouca inclinação. No caso das embarcações de alta velocidade, a redução do pitch frente às ondas é necessária para diminuir o embate do mar e melhorar a eficiência da navegação. A proa está equipada com túneis laterais de evacuação de água, o que facilitará a navegação em condições adversas do mar a uma velocidade maior do que os barcos convencionais.

Proa com bulbo

O bulbo de proa, ou simplesmente bulbo, é uma protuberância na proa do barco, geralmente toda submersa na água. Sua função é basicamente romper a tensão da água e diminuir a resistência que oferece a água ao avanço do barco. Está demonstrado que o bulbo aumenta consideravelmente o rendimento do propulsor e a velocidade da embarcação. Mas como funciona um bulbo? Para entender o princípio de funcionamento primeiro precisamos entender a teoria de resistência no navio. Um navio se deslocando na superfície da água sofre uma resistência ao seu avanço, essa resistência pode ser dívida basicamente em 3 partes: Resistência devido a viscosidade da água, ou seja, devido a fricção da água no casco; o navio ao se deslocar gera ondas ao redor do casco, para gerar esse sistema de ondas o navio gasta energia; resistência residual. O bulbo de proa tem várias vantagens importantes e não apresenta desvantagens relevantes: - Reduz a onda de proa, devido à onda gerada pelo próprio bolbo, tornando o navio mais eficiente em termos energéticos. - Aumenta o comprimento do navio na flutuação, aumentando ligeiramente a velocidade do navio, reduzindo os requisitos de potência instalada e, portanto, o consumo de combustível. - Funciona como um "para-choques" robusto em caso de colisão. - Permite a instalação mais avante do impelidor de proa, tornando-o mais eficiente - Permite maior reserva de flutuação ou maior capacidade de lastro avante -Reduz o movimento de cabeceio

Proa lançada para veleiros

Típico dos barcos a vela mais antigos, este formato já caiu em desuso. A grande inclinação na proa garante bom desempenho em mar aberto, mas diminui o comprimento de linha d?água e limita o espaço na cabine de proa.

Proa reta ou pouco lançada

Formato da proa das lanchas mais antigas e, curiosamente, também de algumas ultramodernas, como as dos estaleiros Wally, Axopar e Zonda. Inspiradas nos veleiros da classe IMS, estas proas deixam o casco mais veloz, mas levam o barco a mergulhar em alta velocidade, pois não têm muito volume.

Proa invertida

Habituados a ver a forma clássica dos arcos com lançamento ou em alguns casos verticais, surpreendem-se com os novos desenhos dos arcos ditos "invertidos" que recuam para a popa à medida que sobem. A Ulstein Design foi a primeira a projetar este tipo de proa em alguns navios, principalmente do tipo oceânico, onde os navios estão sujeitos às oscilações de fortes ondas. Esses iates "offshore" tendem a trabalhar em águas difíceis com ondas altas que provocam fortes acelerações verticais à medida que o barco o penetra, devido ao aumento da flutuabilidade nas áreas da proa. Essa forte aceleração vertical causa tontura e desconforto na tripulação. O arco invertido no design do MegaYates começa a entrar no mercado. Isso melhora a capacidade de manobra do barco, melhora muito a capacidade de lidar com mares muito agitados e permite que você navegue mais rápido consumindo menos combustível. Em suma, quando um navio "perfura" uma grande onda em mares com tempestades, o volume submerso da proa torna-se muito maior e, portanto, produz poderosas forças de empuxo naquela área do navio, o que se traduz em uma velocidade rápida do navio barco para sair da onda. Com os arcos invertidos, o volume submerso quando uma grande onda é atingida aumenta, mas em uma quantidade que aumenta cada vez menos, conforme o arco é submerso ainda mais. Isso deixa o barco mais "preguiçoso" em procurar a saída da onda sem comprometer a flutuabilidade do barco, que é sempre muito mais alta do que o necessário quando se trabalha embaixo da onda. O resultado é uma navegação com muito menos pitch e sem oscilações e balanços devido aos sucessivos passos das ondas.

Proa lançada em V com flare

Variação da proa lançada em V, é mais usada em lanchas de pesca em alto-mar. Debaixo d'água, o V do casco é bem acentuado, mas na parte superior assume uma curva lateral invertida, ou seja, abaulada para fora, para direcionar a água de volta ao mar, mantendo o barco mais seco. Em virtude do grande volume de casco acima da linha d'água, o barco dificilmente mergulha em ondas maiores.

Agora ficou mais fácil decidir sobre qual modelo de proa deve se atentar de acordo com seu uso? Acesse o Barco Novo e confira nossos produtos.

Tecnologia
iSET - Plataforma de E-commerce para criar loja virtual
Plataforma de E-commerce para criar loja virtual